Pilates no combate à ansiedade


Nos dias de hoje, onde cada vez mais as pessoas precisam adaptar-se a longas horas de trabalho e uma sobrecarga de responsabilidades, torna-se comum não darem atenção à própria saúde e, como consequência possuem pouca ou nenhuma qualidade de vida. Muitas pessoas já sofrem com as chamadas “doenças da modernidade”. A ansiedade, que se enquadra nessas doenças, por exemplo, é um motivo suficiente para se recorrer a um bom médico. E não estranhe se entre um remédio e outro, ele recomendar a prática de atividades físicas, inclusive do Pilates, como forma de tratamento e prevenção.

Ansiedade é uma sensação ou sentimento decorrente da excessiva excitação do Sistema Nervoso Central consequente à interpretação de uma situação de estresse. É uma condição emocional que se caracteriza pelo sofrimento excessivo e antecedente a um acontecimento, a frente do qual o indivíduo se sente indefeso.

A pessoa que passa muito tempo num estado de ansiedade acaba descontinuando a respiração, como uma forma de defesa contra o medo de uma repreensão ou situação de risco, causando um bloqueio no músculo diafragmático. Para possuir um controle emocional, o corpo e a mente devem sempre ser trabalhados juntos. Um diafragma inibido, que não trabalha bem, afeta todos os sistemas já que ele está conectado a coluna, a musculatura abdominal, órgãos internos, nervos, veias e artérias, podendo causar diversas revoltas como: dores de cabeça, problemas gastrointestinais, dores nas costas e até mesmo crises de ansiedade.

E onde o Pilates se encaixa em tudo isso?

O Pilates, como muitos sabem, trabalha como princípio fundamental a RESPIRAÇÃO. Ele trabalha a respiração dentro de cada exercício realizado, aperfeiçoando-a e potencializando sua capacidade, sendo instrumento para definir a qualidade do exercício.

O Pilates mobiliza a musculatura diafragmática e exerce muitos benefícios em pessoas ansiosas por modificar a capacidade respiratória. Se o indivíduo ansioso é capaz de aprender o controle e mobilização respiratória, podemos até certo ponto, modificar sua condição energética diafragmática, onde a ansiedade está contida.

Além da respiração, o Pilates trabalha a concentração, consciência corporal, relaxamento dos músculos, trabalha o corpo como um todo. Mente e corpo juntos favorecendo a uma “mens sana in corpo sano” (simbolizando uma mente saudável e corpo saudável). Chamando atenção para a união e complementaridade existente (ou que deve existir) entre o corpo e a mente.

A maioria dos pacientes relata começar a se sentir melhor após a prática regular do Pilates. Mas cabe lembrar que é necessário o diagnóstico de um médico para saber o nível de ansiedade e se é preciso tratamento medicamentoso e terapêutico para acompanhar.

“Respirar é o primeiro e último ato da vida. Nossa própria vida depende disso. Já que não podemos viver sem respirar, é tragicamente deplorável observar milhões de pessoas que nunca aprenderam a dominar a arte da respiração correta”. 

Joseph Pilates


Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *